quarta-feira, 20 de abril de 2011

Por que aprender uma língua estrangeira?

O título deste artigo deveria ser “Por que aprender inglês”, mas ao começar a escrever percebi que o mesmo se aplica a qualquer língua, então antes de postar resolvi alterar o título, que ao meu ver ficou mais apropridado.
Dia desses, na semana passada, eu estava com dificuldades de resolver um problema no trabalho. Lembrando que trabalho com programação de computadores, então algumas vezes é difícil de resolver uma ou outra questão. E neste dia, foi o que aconteceu. Revirei a internet de pernas pro ar e nada de achar uma maneira de fazer funcionar as funcionalidades que o meu programa deveria ter. E foi justamente neste dia que vi que o Orkut tem alguma coisa de boa: postei em algumas comunidades a descrição do meu problema. Obtive uma resposta de uma guria da India e outra de um cara do Paquistão. Em português, nada. Após um começou de “conversa” pelo Orkut, resolvi pegar o MSN deles e passamos a conversar por este programa. Algumas horas de conversa e conseguimos resolver o meu problema. Lembrando que toda a conversa se deu no bom e velho inglês.
Relatei o fato acima apenas para servir de base para o restante do artigo. Nele, é possível perceber, em primeiro lugar, a importância do inglês na nossa vida nos dias de hoje. Falar inglês te torna “um cidadão do mundo”, como dizia o slogan de uma escola de inglês que não recordo qual é. Mas isso serve para outras línguas também. Saber falar uma língua estrangeira nos coloca em contato com novas culuras, novas pessoas, abre um leque de opções simplesmente infinitas na nossa vida.


Ao se comunicar em uma outra língua, estamos elevando a nossa vida a um nível onde pertencemos a uma maior parte do mundo. Falar português nos deixa em contato com um mundo composto de Brasil, Portugal, Angola e alguns outros países de menor expressão. Falar espanhol te amplia para um contato com toda a América Latina, além da Espanha e outros países onde o espanhol é ensinado como segunda língua. Já com o francês, é possível atingir o Canadá, França, além de países como Marrocos. O italiano e o alemão seguem o mesmo princípio, ajudando a ampliar cada vez mais os horizontes.

Ainda não falei do inglês. Preferi deixá-lo num parágrafo separado, pois o inglês é um caso à parte. Falar inglês, hoje, é o mesmo que abrir as portas do mundo. Qualquer que seja a língua nativa de um país, são de 90% as chances de que alguém fale ou mesmo entenda este idioma. Com ele, não só é possível como natural, se comunicar com pessoas que qualquer parte do globo, como se estivessem conversando em sua língua nativa. Na internet, é muito mais fácil encontrar informações em inglês do que em qualquer outra língua. Além disso, o inglês habita boa parte da nossa vida cotidiana: as músicas que ouvimos nas rádios são, em grande número, em inglês. Os filmes que assistimos no cinema, são em inglês com legendas em português, o próprio Orkut, no começo, era em inglês.
Então, para concluir e enfatizar mais uma vez, o domínio de uma língua estrangeira, seja ela qual for, tem o poder de nos colocar em contato com pessoas que possivelmente nunca conheceríamos, nunca saberíamos da sua existência, nos insere em uma nova cultura, em um mundo extraordinariamente novo e deslumbrante. Nos permite fazer parte do todo, e sermos literalmente, cidadãos do mundo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário